5 previsões da IBM para o futuro da computação


Anualmente, a IBM divulga a sua lista de previsões para os próximos cinco anos das tecnologias que vão transformar a maneira como as pessoas trabalham, vivem e interagem com os computadores. E em sua nova lista, com estimativas para até 2017, a empresa descreve o futuro da computação como a “era dos sistemas cognitivos”.

“Esta nova geração de máquinas irá aprender, adaptar, sentir e começar a experimentar o mundo como ele realmente é”, prevê a Big Blue. “Por isso, nossas previsões tem como foco um elemento desta nova era: a habilidade dos computadores de imitar os sentidos humanos”, explicou a empresa em sua análise.

Confira abaixo as cinco previsões que vão, segundo a IBM, definir o futuro da computação:


Tato: você conseguirá tocar através do seu smartphone 
De acordo com a IBM, equipes de cientistas da empresa já estão pesquisando aplicações para o varejo e outros setores com tecnologias háptica, capazes de simular pressão, textura vibrações e outras sensações.

Para a empresa, seremos capazes de sentir e diferenciar, através do vibrar da tela do dispositivo móvel, a seda do algodão, como se estivéssemos realmente tocando o tecido. “Esta tecnologia se tornará onipresente no nosso dia a dia e vão transformar os smartphones em ferramentas para interações naturais e intuitivas com o mundo ao redor”, considera a IBM.


Visão: Um pixel significará mais que mil palavras 
Nos próximos cinco anos, prevê a IBM, computadores serão capazes de olhar e reconhecer o conteúdo das imagens e dados visuais. “Eles vão transformar os pixels em significados, compreendendo uma imagem de maneira similar aos humanos”.

Segundo a empresa, um dos setores que mais vão se beneficiar desta nova capacidade é a saúde. Através desta nova compreensão de imagens em ressonâncias, por exemplo, os computadores poderão gerar informações para ajudar os médicos a detectarem possíveis problemas de saúde.


Audição: Computadores vão ouvir o que importa 
Outra previsão da IBM diz respeito à capacidade de ouvir que os computadores vão adquirir. De acordo com a empresa, em cinco anos, um sistema de sensores avançados irá fazer com que as máquinas sejam capazes de interpretar a pressão emitida pelo som, vibrações e ondas sonoras.

Assim, poderão prever, por exemplo, quando árvores irão cair em uma floresta ou quando um deslizamento de terra for iminente. Outro exemplo é a capacidade de interpretar sons emitidos por bebês. Os computadores vão encarar tais sons como uma linguagem, traduzindo-os em mensagens para médicos e pais.


Paladar: Papilas gustativas digitais vão ajuda-lo a comer melhor 
Segundo a IBM, uma equipe da empresa trabalha atualmente no desenvolvimento de um sistema que quebra os ingredientes até o seu nível molecular. O sistema ainda mistura a química da composição dos alimentos com a psicologia por trás dos cheiros e sabores favoritos dos humanos.

“Este sistema poderá criar novas combinações de sabores que nos farão desejar comer legumes ao invés de batata frita”, considera e empresa. Transformaria as comidas saudáveis em sabores mais palatáveis e ainda seria capaz de oferecer novas combinações de sabores. Pessoas com dietas especiais poderiam se beneficiar de novas receitas para ajuda-los a manter a saúde em dia.


Olfato: Computadores sentirão os cheiros 
Nos próximos cinco anos, computadores vão adquirir a capacidade de detectar cheiros através de pequenos sensores. Ao analisar os odores, poderão determinar se uma pessoa está na iminência de adoecer, por exemplo.

 Além disso, avanços no desenvolvimento de sensores e tecnologias da comunicação vão ajudar a analisar dados em lugares inusitados. No campo, computadores poderão “cheirar” amostras de solo para analisar as condições da lavoura. Já na cidade, podem ajudar a monitorar os índices de poluição.


Créditos

Nenhum comentário

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.