Conheça um pouco da trajetória de Roberto Bolaños, o nosso eterno Chaves


Roberto Gómez Bolaños, um ator, escritor, comediante, dramaturgo, compositor e diretor de televisão mexicano nasceu em 21 de fevereiro de 1929, na Cidade do México. Filho da secretária bilíngue Elsa Bolaños Cacho e do pintor, cartunista e ilustrador Francisco Gómez Linares, Roberto Bolaños se formou em engenharia elétrica na Universidade Nacional Autônoma do México, profissão que nunca exerceu.

Um fato curioso é que Roberto quase não veio ao mundo, porque sua mãe tomou por engano remédio para gripe, ameaçando sua gravidez. O médico (seu irmão Gilberto) recomendou que ela fizesse um aborto, mas ela se recusou. "E foi assim que pude nascer em 21 de fevereiro de 1929", Bolaños escreveu na autobiografia "Sem querer querendo", publicada em 2006.

Roberto começou a trabalhar aos 22 anos em uma agência de publicidade, e alguns anos mais tarde acabou escrevendo roteiros para atrações de rádio e televisão durante a década de 1950, como o programa da dupla "Viruta e Capulina". Em 1958 Roberto casou-se com Graciela Fernández Pierre.

Bolaños também elaborou roteiro para vários filmes e começou a atuar 1960, mas o seu foco sempre esteve voltado para textos para a TV mexicana. Ele sabia que frases curtas e de efeito era um dos pontos principais para fazer um personagem dar certo.

Foi o diretor de cinema Agustín P. Delgado que deu a Roberto o apelido de "Chespirito", um diminutivo espanholizado de Shakespeare, por considerar que ele era capaz de escrever histórias prolíficas e versáteis como o autor inglês.

Em 1968, quando as transmissões do canal Televisión Indepiendente de México (que mais tarde se transforma em Televisa) foram inicializadas, Roberto foi convidado para escrever um programa com duração de trinta minutos. Aceitando o convite, assim surgiu o "Los Supergenios de la Mesa Cuadrada", onde Chespirito contracenou com Ramón Valdés, Rubén Aguirre e María Antonieta de las Nieves.


Em 1970, "Los Supergenios de la Mesa Cuadrada" teve sua duração aumentada, e então, em um dos quadro da atração, surge o herói atrapalhado "Chapolin Colorado". Um ano depois surge aquele que seria o maior personagem de  Bolaños, o "Chaves". O sucesso dos personagens foi tanto que em 1791 cada um dos personagens ganhou um programa próprio, e "Chapolin" se torna o primeiro seriado mexicano a ser vendido para outro país. Em 1973, as duas atrações já eram exibidos em quase toda a América Latina.


No ano de 1977, Roberto Bolaños se separa de Graciela Fernández Pierre, com quem teve dois filhos. No mesmo ano, ele passa a morar com Florinda Meza, conhecida por interpretar a Dona Florinda no "Chaves".

Em  1978, Carlos Villagrán deixa o elenco do "Chaves" e processa Bolaños pelo direito de uso do seu personagem (Quico). Em 14 de outubro de 1979 é exibido o último episódio da série "Chapolin Colorado" no México, e em 7 de janeiro de 1980 foi no ar o último episódio do seriado "Chaves". 


No dia 4 de fevereiro de 1980 Roberto Bolaños estreia o programa "Chespirito" (no Brasil conhecido como "Clube do Chaves"), que ficou no ar na TV mexicana até o dia 25 de setembro de 1995. "Chespirito" não apresenta o elenco completo do "Chaves", estando ausente Carlos Villagrán (intérprete do Quico); Ramón Valdés (intérprete do Seu madruga) trabalhou durante apenas um ano no programa. "Chaves" e "Chapolin" acabaram virando quadros do programa "Chespirito", onde acabaram recebendo novos conteúdos.


No dia 24 de agosto de 1984 o SBT exibe pela primeira vez episódios do "Chaves" e do "Chapolin Colorado" no Brasil, que dentro de pouco tempo se tornou fenômeno em todo o país. O sucesso foi tanto que "Chaves" já chegou a ser exibido até mesmo no horário nobre do SBT.

Em 1992 Roberto recebe o "Prêmio de Literatura da Sociedade Geral de Escritores do México" pelo roteiro da peça "La Reina Madre". Em 2002 Bolaños processa María Antonieta de las Nieves pelos direitos da personagem Chiquinha, os dois levaram anos para chegar a um acordo. No dia 19 de novembro de 2014, após 19 anos de união, Roberto Bolaños se casa oficialmente com Florinda Meza.

Em 2006, Chaves ganha uma versão em desenho animado. A personagem Chiquinha não aparece no desenho porque na época se sua produção ainda era alvo da disputa judicial em Roberto e María Antonieta.

Em 28 de maio de 2011 Roberto Bolaños abre uma conta no Twitter, onde consegue mais de 170 mil seguidores em menos de um dia, e no segundo dia mais de 250 mil. A marca de 6 milhões foi atingida em maio de 2004.

No dia 29 de fevereiro de 2012 participa ao lado de ex-colegas e amigos do evento em sua homenagem "América Celebra a Chespirito", que reuniu mais de dez mil pessoas na Cidade do México. Muito emocionado é levado a um hospital após ter uma queda de pressão. Dois dias depois Roberto avisa no Twitter que está "cansado, mas MUITO bem, emocionado e feliz".


Ao completar 85 anos no dia 21 de fevereiro de 2014, Roberto agradeceu os fãs por todas as mensagens no Twitter "Obrigado por todo o seu amor e todos os parabéns. Estou animado e grato, sempre".

Roberto morreu na sua casa em Cancun, México, no dia 28 de novembro de 2014. Bolaños havia se mudado para Cancún há alguns anos, por conta dos problemas respiratórios que vinha enfrentando. A última mensagem oficial de Bolaños no Twitter foi "Todo meu amor para o Brasil", em resposta a uma fã.

(Última foto de Roberto Bolaños, publicada por sua filha Paulina Gomez, no dia 9 de novembro de 2014)

Nenhum comentário

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.