Análise da 2ª temporada da série The Walking Dead


A segunda temporada de The Walking Dead inicia-se logo após Rick e o grupo de sobreviventes escaparem do Centro de Controle de Doenças; o novo destino do grupo é Fort Benning, uma base do exército dos EUA. No caminho, eles se deparam com um enorme engarrafamento de veículos abandonados. Eles então decidem saquear os carros para buscarem alimentos, mas são surpreendidos por uma grande quantidade de zumbis. A única solução para salvarem suas vidas é esconder debaixo dos veículos.

Sophia, filha de Carol, acaba atraindo a atenção de um zumbi, e, na tentativa de salvar sua vida, corre para uma floresta. Rick vai atrás da menina, que possui apenas 12 anos, mas acaba perdendo-a de vista. Rick e sua turma fazem diversas buscas na floresta, porém todas em vão. Em uma destas buscas, o caçador Otis acidentalmente atira em Carl (filho e Rick). Para tentar salvar a vida do garoto, Otis leva Rick e Shane para uma fazenda mais afastada, pertencente ao veterinário Hershel. Hershel é uma pessoa com fortes convicções: para que o grupo de Rick permaneça em suas terras, terão que seguir suas regras.

A fazenda possuía algumas peculiaridades: não demora muito para o grupo de sobreviventes descobrirem que dentro de um celeiro estão presos vários zumbis, o que inclui familiares de Hershel. O fazendeiro crê que as criaturas presas no seu celeiro são pessoas doentes, sendo totalmente contra o seu extermínio. Como se isso não bastasse, os relacionamento entre alguns personagens começa a piorar muito, ao ponto de um tentar matar o outro.

Rick faz para o grupo uma importante revelação que ele descobriu no Centro de Controle de Doenças: todo sobrevivente está infectado com vírus causador de toda a desgraça ocorrida, sendo que este somente se manisfesta após a morte. Porém, se um humano for mordido por algum zumbi, a infecção leva a morte mais rapidamente.


Considerações finais
The Walking Dead mostra um avanço nesta segunda temporada, a série apresenta fortes cenas de drama, envolvendo crianças em situações bem complexas. Nos 13 episódios vemos como a vida se torna difícil nesse novo mundo que não possui nenhum tipo de regra. Alguns episódios da produção são de pura tensão, mas grande maioria da temporada tem uma evolução bem lenta de enredo. O episódio final é empolgante, mas infelizmente ele não reflete o que é praticado pelos roteiristas em toda a temporada. É perceptível que houve uma maior evolução dos personagens, sendo possível conhecer melhor os valores de cada um. No geral, apesar de evoluir em alguns pontos, a série peca em outros, mantendo o mesmo nível visto na primeira temporada.

Nota
★★★★☆ - 4

Nenhum comentário

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.