Mercado sul-americano gera prejuízo para suas principais montadoras


O primeiro trimestre de 2015 não foi nada bom para as montadoras no mercado sul-americano. A Fiat Chrysler Automobiles, dona da Fiat, líder em volume de veículos vendidos na região, amargou um prejuízo de 71 milhões de euros na América do Sul. A região que já correspondeu por 1/3 do lucro da FCA encontra hoje dificuldades diante da atual situação do mercado brasileiro e argentino.

O Grupo Volkswagen viu suas vendas caírem 14% se comparadas com o primeiro trimestre de 2014. A queda de vendas da fabricante de caminhões MAN gerou prejuízo líquido de 10 milhões de euros em escala mundial. A MAN disse que que as vendas de caminhões no Brasil despencaram 51%, enquanto as encomendas caíram 49%. Apesar da queda nas vendas, o Grupo Volkswagen informou que a sua participação no mercado sul-americano subiu para 16,9%, ante os 16,4% em 2014, mas não divulgou nenhum dado financeiro da região.

A General Motors teve um prejuízo de 214 milhões de dólares na América do Sul no período que engloba janeiro, fevereiro e março de 2015. O relatório da empresa relata que o Brasil foi o principal país responsável pela sua perda no subcontinente.

Os resultados anteriores não foram diferente para a Ford Motor. A companhia estadunidense amargou um prejuízo de 189 milhões dólares com o mercado sul-americano. Apresar das perdas, o resultado é muito melhor que o primeiro trimestre de 2014, quando a Ford Motor teve US$ 510 milhões de prejuízo na América do Sul. 

Nenhum comentário

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.