Os planos da Microsoft para o futuro da marca Xbox


O anúncio da chegada de Quantum Break aos PCs com Windows 10 gerou um alvoroço na internet durante a última semana. O título que foi anunciado como um exclusivo do Xbox One chegará ao Windows 10 no dia 5 de abril, a mesma data marcada para a chegada ao Xbox One. Este não será o primeiro exclusivo do Xbox que chegará ao PC: Dead Rising 3Ryse: Son of Rome e Ori and the Blind Forest já foram lançados, e Gears of War: Ultimate Edition, D4: Dark Dreams Don't Die e ReCore, que ainda nem foi lançado, chegarão futuramente.

Estes jogos só estarão disponíveis no Windows 10, e a ideia da Microsoft deve ser de disponibilizar os títulos somente na Windows Store, para fortalecer ainda mais a loja do seu sistema; desta forma todo o lucro ficaria apenas com a Microsoft. Vale lembrar que a empesa lucra mais com a venda de jogos e com a Xbox Live do que com a venda de consoles.

Abaixo vamos analisar a nova estratégia da Microsoft para a marca Xbox, que deve ter mais detalhes revelados em um evento, que será realizado no próximo dia 25, com foco total no Xbox One e no Windows 10.

Por que tanta revolta?
Por um lado essa revolta é compreensível, faltou transparência por parte da Microsoft. A empresa anuncia um jogo como exclusivo, e depois a mesma quebra essa exclusividade. Os títulos não deixam de ser exclusivos da Microsoft nem mesmo do Xbox One nos consoles, mas por que não deixar claro a chegada dos games ao PC já no anúncio dos títulos? Isso evitaria toda esta confusão vista na última semana. Agora uma coisa tem que ficar clara: a chegada dos games aos PCs em nada afetará a versão do Xbox One, já que os títulos estarão disponíveis na plataforma.


A Microsoft está matando o Xbox One?
Longe disso. O público dos consoles e dos PCs são diferentes. Das aproximadas 19.1 milhões de unidades de Xbox One vendidas em todo o mundo, a porcentagem destes consumidores que possuem um PC gamer é muito pequena. Esse papo de "pra que comprar um Xbox One se posso jogar seus exclusivos no PC" não se aplica na prática.

Para montar um PC gamer que rode jogos como Quantum Break com a qualidade gráfica no mínimo sai mais caro do que investir em um console de última geração. Isto sem deixar de contar as eventuais atualizações de hardware que deverão ser feitas ao longo dos anos. Se você quiser rodar os jogos com a qualidade gráfica no máximo, é melhor preparar o seu bolso.

Os jogadores de console procuram uma maior praticidade. Eles compram um aparelho que é capaz de rodar todos os lançamentos de hoje e os que sairão daqui alguns anos, sem precisar fazer nenhuma alteração no aparelho. Há também uma diferença de ambiente e conforto entre jogar com o aparelho conectado na TV e jogar em frente a um monitor de PC.

O mercado de consoles nunca concorreu com o de PCs. Essa "disputa" de mercados fez com que vários analistas dissessem que a geração PS4/Xbox One seria a última. As vendas destes consoles estão muito fortes, provando que este mercado está totalmente vivo e longe do seu fim. São públicos distintos, como já foi dito anteriormente.


Todos os jogos exclusivos do Xbox One sairão também para o PC?
Não! Realmente o Xbox One teve vários de seus títulos exclusivos saindo para o PC, mas games como Forza Motorsport 5Sunset Overdrive, Forza Horizon 2, Halo 5: Guardians e Forza Motorsport 6 não tiveram até então nenhum indício que sairão também para oura plataforma.

Além disso, durante o último podcast do Major Nelson, divulgado na última sexta (12), Aaron Greenberg, diretor de marketing do Xbox, contou que o Xbox One é muito importante para a Microsoft e que ainda irão publicar muitos jogos exclusivos para ele. "As pessoas devem saber que o Xbox é uma grande prioridade para nós e um grande compromisso. Por favor, não pensem que o fato de também lançarmos um jogo no mesmo dia para o Windows 10, que isso está mudando a nossa perspectiva de importância do negócio dos consoles ou o nosso compromisso em inovar nos consoles".


Benefícios do Xbox One + Windows 10
A quebra de barreiras, expressão usada pelo próprio Phil Spencer, só tem a trazer benefício para aquelas pessoas que realmente são gamers. Quem fizer a pré-venda de Quantum Break no Xbox One ganhará uma cópia do game para PC; esse cross-buy tende a ficar mais comum nos próximos lançamentos da empresa. Além disso, jogadores do Xbox One poderão jogar multiplayer com jogadores do PC, ou vice-versa. Atingindo um público maior, a cobrança por títulos bem feitos também aumentará. Com mais gente jogando, a Microsoft deve investir ainda mais no serviço Xbox Live, aumentando ainda mais a sua qualidade.


Considerações finais
O Xbox One sempre foi um console a frente do seu tempo. Quando Don Mattrick, durante a polêmica apresentação do Xbox One, disse que o console necessitaria sempre ficar sempre online, enxurradas de críticas vieram. A Microsoft recuou, e o que vemos hoje são títulos que precisam de conexão constante com a internet para ser jogados, como o último Need For Speed, lançado no ano passado. Tudo bem, ainda é uma minoria de títulos que seguem esse padrão, mas é uma tendência para o futuro.

A ideia da Microsoft sempre foi esta unificação, e ela aos poucos está acontecendo. A empresa é uma gigante no mundo da tecnologia e tem obtido bons resultados financeiros com a sua divisão de games. Toda esse alvoroço na última semana mostra a importância e a grandeza que a marca Xbox representa hoje no mundo dos games. A Microsoft sabe disso, e não colocaria tudo isso a perder, depois de um duro período de tempo para conseguir se firmar no mercado dos consoles.

O evento do próximo dia 25 deverá esclarecer melhor esta situação, e provavelmente estará cheio de novidades. Vamos aguardar as novidades antes de criar tempestade em copo d'água.

2 comentários:

  1. Erro básico de um dos jogos exclusivos para Xbox One. Eu tenho Forza Horizon 2 para Xbox 360.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As versões de Xbox 360 e Xbox One são diferentes. São jogos com o mesmo título e estilo, mas com experiencias diferentes. A própria Playground Games disse isso durante o desenvolvimento do título "São baseados no mesmo mundo, são baseados nos mesmos temas", disse o diretor de criação, Ralph Fulton. "Ao invés de pensar neles como o mesmo jogo em plataformas diferentes, eles serão jogos diferentes inspirados pelas mesmas ideias".

      O texto também é todo focado na geração atual de consoles, onde o Forza Horizon 2 é exclusivo do Xbox One, mas entendo o seu posicionamento. Obrigado pelo comentário.

      Excluir

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.