Chevrolet Onix recebe nota zero em teste de impacto do Latin NCAP


O carro mais vendido no Brasil apresentou resultados decepcionantes nos testes de impacto realizados pelo Latin NCAP, uma instituição independente que analisa a segurança dos veículos vendidos na América Latina. Dando zero estrela para ocupantes adultos e três estrelas para crianças, os resultados do crash test foram divulgados na última quinta-feira, dia 11.

O Chevrolet Onix tinha sido alvo de um primeiro teste realizado em 2014, quando recebeu três estrelas para adultos e duas para crianças. O Onix foi reavaliado, obedecendo desta vez a novos (e mais rígidos) critérios. O teste de colisão frontal não foi refeito, mas o Latin NCAP reavaliou os dados obtidos em 2014, realizando agora o teste de impacto lateral. Esta é o motivo pelo qual se vê veículos de duas cores no vídeo do teste.

O teste de colisão lateral, que não é obrigatório para a homologação de veículos vendidos no Brasil, apontou risco de impactos no peito dos ocupantes adultos, razão pela qual foi atribuído zero estrelas. Já quando o assunto é proteção para as crianças, o hatch da Chevrolet conseguiu uma estrela a mais em relação ao teste de 2014.

Abaixo você confere o vídeo do teste de colisão e os comentários feito pelo Latin NCAP:



Adultos: "A cabeça e o pescoço ofereceram boa proteção no impacto frontal. Os sistemas de retenção proporcionaram proteção fraca ao peito do motorista, conforme os requerimentos do protocolo 2016. A cabeça do acompanhante foi bem protegida. Foram observadas estruturas perigosas na zona do painel contra as que poderiam impactar os joelhos do motorista e do acompanhante. O chão da área dos pés do motorista se abriu após o impacto. A estrutura do habitáculo foi considerada estável no impacto frontal. O veículo conta com lembrete do uso do cinto (SBR) apenas do lado do motorista, cumprindo com os requisitos do Latin NCAP. O modelo conta com pretensores para cintos de segurança somente do lado do motorista. No impacto lateral, as leituras do dummy mostraram proteção boa para a cabeça e a pélvis, proteção marginal para o abdome e pobre para o peito, explicando o resultado de zero estrela. O veículo não possui airbags laterais. Conta com reforços estruturais para o impacto lateral nas portas, mas não tem elementos de absorção de energia para a pélvis na porta ou nos painéis interiores da porta. O veículo mostrou uma penetração alta da barreira móvel que provocou um alto deslocamento do pilar B e do banco dos passageiros. Isso questiona a capacidade do veículo de proporcionar melhor proteção lateral mesmo contando com airbags laterais. O carro não oferece ESC como padrão. O impacto lateral de poste não foi realizado, o veículo não possui airbags de cortina como padrão."

Crianças: "O Sistema de Retenção Infantil (SRI) para a criança de três anos não foi capaz de evitar um deslocamento excessivo para frente no impacto, proporcionando proteção baixa para o pescoço e o peito. O desempenho dinâmico do SRI para a criança de 18 meses foi adequado. Impacto lateral: Ambos os SRI ofereceram boa proteção no impacto lateral para os dummies crianças. A porta traseira do lado do impacto foi aberta no teste de impacto lateral. Todos os SRI avaliados para a instalação foram aprovados, levando em conta as posições de exceção no manual do fabricante. O veículo conta com sinalização de advertência sobre a instalação do SRI no banco da frente. Não é possível desligar o airbag do passageiro quando é instalado um SRI olhando para trás no banco do passageiro."

Nenhum comentário

Encontrou algum erro na postagem acima? Comunique-nos deixando um comentário. A equipe do Porta E7 agradece.

Tecnologia do Blogger.